• Receba a planilha exclusiva e gratuita para Gestão de Projetos de P&D!

    E mais: participe da comunidade privada de +4000 visionários de alimentos que recebe dicas e insights exclusivos. Sem spam. Só inovação.

É DIA MUNDIAL DO CONSUMIDOR: E O QUE ISSO QUER DIZER PARA VOCÊ, CARA PÁLIDA DE P&D?

Está lá você, na sua nada mole vida de pesquisador da área de alimentos, trabalhando como um condenado, pesando formulação atrás de formulação na bancada, testando protótipos na planta-piloto e, sarna da administração moderna, participando da terceira reunião do dia. O dia de hoje acaba, você volta para casa, janta e dorme. Quando acorda, no dia seguinte, tudo novamente. O Dia Mundial do Consumidor, aquele, no qual você deveria pensar 110% do seu dia, passou – e você nem se deu conta.

É hoje, colega. O Dia Mundial do Consumidor é 15 de março – dia em que John Kennedy, este emblemático líder norte-americano discursou sobre os direitos mais básicos dos consumidores: segurança, informação, escolha e ser ouvido.

Profético, não? No ano em que a legislação de alergênicos finalmente entra em vigor no Brasil, o acesso à informação entra na roda de debate em terras tupiniquins.

Posteriormente, os direitos foram expandidos para 8 – não confunda, contudo, com os 9 direitos básicos do Código Brasileiro do Consumidor, que se inspiram nestes, mas expandem algumas categorias.

consumidor, dia, direitos do consumidor, comida, tecnologia, P&D, alimentos, R&D, food, engenharia, ciência, pesquisa, desenvolvimento, oportunidade, sra inovadeira, inovação, desenvolver, produto, processo

 

Tenho cá minhas convicções. Uma delas é que a distinção entre P&D e Qualidade é uma grande bobagem, que pretende servir ao lema “dividir para conquistar”: mas divide tudo e não conquista nada. P&D e Marketing é outra dessas grandes falácias conservadoras que, graças a tantas velas acesas à Deusa Ajudadora dos Novos Produtos, está vindo por terra.

Como pode ser que a área que precisa falar com o consumidor não seja a mesma área que cria o produto que o impressiona?

Aí você está pensando, cara pálida: o que esse dia do Consumidor tem a ver comigo? Já tem a área de Qualidade que fica recebendo reclamações do SAC!

Acorda, colega!

Se você, como P&D, não pensa no consumidor desde o PRIMEIRO estágio de desenvolvimento, não há Qualidade no mundo que consiga fazer seu belo produto reinar na gôndola. O consumidor não é meramente seu alvo: ele deveria ser o seu melhor amigo.

 

“Ah, Sra Inovadeira, você sempre bate nessa tecla: consumidor, consumidor, consumidor”.

Sim, claro, colega. Você fica lá apagando incêndio na fábrica, criando produto para o gosto da sua chefe e enquanto isso o mundo já acordou para uma nova relação da indústria com o seu consumidor.

Enquanto vossa senhoria continua desenvolvendo produtos do jeito que o vovô fazia, empresas dos mais variados segmentos estão criando soluções mais criativas e integradas no mundo dos alimentos.

De uma forma muito simples: ouvindo ao consumidor.

Quer exemplos, para deixar mais claro?

A Barilla, em associação com o Food Innovation Program, lançará no mercado dois produtos desenvolvidos para resolver problemas especiais do consumidor italiano:

  • Um para incentivar escolhas mais saudáveis nas crianças, centrado em brincar com a comida (isso mesmo, pois criança aprende brincando!) e no engajamento dos pequenos na cozinha;
  • O outro para superar a redução do consumo de macarrão pelos italianos (lá também o pessoal segue a moda da redução dos carboidratos), através da criação de produtos e serviços alternativos a partir dele – quem disse que o negócio da Barilla é só produto?

Na Noruega, o projeto se desenrolou ao redor da alimentação no carro – se você já tentou comer algo enquanto viajava, ou esperava no trânsito, sabe do que estou falando. Bagunça. Sujeira. Migalhas. Mãos sujas.

Agora, pensa em comer um peixe no carro.

sra inovadeira, inovação, alimentos, p&D, peixe secando, peixe seco

Ah, as paisagens da Noruega: peixe secando ao ar livre, gelo, a Aurora Boreal…

Fiquei louca, não?

Pois é o que a Associação de Produtores de Pescado da Noruega queria desenvolver. Só que de um modo novo: ao invés de ficarem sentados numa mesa analisando relatórios de tendências, ou de testar protótipo atrás de protótipo na planta-piloto, os pesquisadores pegaram um bloquinho de anotações e foram para a rua.

Ouviram o consumidor. Foram empáticos. Deram voz a quem nunca é ouvido. Perguntaram a ele – e não ficaram supondo – quais problemas tinha, e o que gostaria de comer quando estivesse na estrada.

A resposta foi muito bacana e você pode ler o artigo em mais detalhe aqui. Para sintetizar, o que eles entenderam:

  • É comida de apenas uma mão
  • A embalagem é fator crucial
  • Carros normalmente têm porta-copos, que podem resolver o problema de sujeira

Pronto: os pesquisadores chegaram a nada mais, nada menos do que 10 CONCEITOS diferentes para resolver o problema do consumidor. Que era COMER NO CARRO SEM FAZER SUJEIRA.

Snack car, dia mundial do consumidor

Alguns exemplos de soluções em alimentos, embalagens e plataformas citados no estudo

 

Agora, pensa no último produto que você desenvolveu. Você sabe qual problema do consumidor você resolveu com ele?

Conta aqui para a tia: você realmente estava pensando no consumidor quando desenvolvia este produto?

Ou fez mais uma bolacha recheada para colocar no mar de bolachas recheadas que se sentam nas gôndolas de supermercado?

Ao invés de desenvolver uma salsicha, que tal desenvolver uma comida – algo que alguém come, e não apenas mais uma salsicha para ter na prateleira refrigerada? Algo memorável, que de fato faça diferença para o seu consumidor?

Que tal se destacar como a empresa que resolveu a questão do lanche no meia da tarde no escritório? Ou que propôs uma solução para os nômades digitais que não tem cozinha fixa? Ou para a galera do trekking, que está invadindo os nossos parques nacionais?

Quem é o seu consumidor? Você o conhece?

Eu gosto muito da abertura do artigo 4º do Código Brasileiro do Consumidor que diz:

“A Política Nacional das Relações de Consumo tem por objetivo o atendimento das necessidades dos consumidores, o respeito à sua dignidade, saúde e segurança, a proteção de seus interesses econômicos, a melhoria da sua qualidade de vida, bem como a transparência e harmonia das relações de consumo.”

Colega, se você ainda acredita na separação Qualidade/P&D ou Marketing/P&D, lê ao menos esta parte:

 

Missão, sra inovadeira, pesquisa e desenvolvimento, p&D, alimentos, inovação

 

Coloca isso na sua proteção de tela. Faz um quadrinho para prender na parede no laboratório.

E hoje, quando você estiver definindo os seus planos para os próximos dias, inclua um encontro com o consumidor. Direto. Sem intermediários: só você e ele.

Depois me conta como foi.

 

Feliz Dia Mundial do Consumidor, cara pálida!

 


design, thinking, comida, tecnologia, P&D, alimentos, R&D, food, engenharia, ciência, pesquisa, desenvolvimento, oportunidade, sra inovadeira, inovação, desenvolver, produto,Quer aprender esta técnica de escutar o consumidor e transformar estes insights em ideias para novos produtos? Então se inscreva no módulo de Design Thinking para Alimentos da nossa Formação em Gestão de P&D.

Clique no link para mais detalhes, visionário e visionária!

Sobre Cristina Leonhardt

Mãe, viajante, escritora e apaixonada por inovação. Fundadora do site Sra Inovadeira e co-fundadora da Tacta Food School, onde atua como Diretora de Inovação para projetos de Gestão Estratégica de P&D e Desenvolvimento de Produtos. Mentora da Terra Accelerator. Eu quero que você alcance todo o potencial de inovação que existe dentro da sua empresa de alimentos. Se conseguirmos criar um produto diferenciado, não teremos mais consumidores. Teremos uma legião de fãs. Quer me conhecer melhor: pode me adicionar no Linkedin
Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Receba a planilha exclusiva e gratuita para Gestão de Projetos de P&D!

    E mais: participe da comunidade privada de +4000 visionários de alimentos que recebe dicas e insights exclusivos. Sem spam. Só inovação.